Agenda Geral | Comitês

<Dezembro/2022>
DOMSEGTERQUAQUISEXSÁB
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
<Dezembro/2022>
DOMSEGTERQUAQUISEXSÁB
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Encontro nacional da comunidade da água abriu neste domingo em Foz do Iguaçu e segue até amanhã com intensa programação

28/11/2019 - Categoria: Eventos

A necessidade urgente de unir esforços de todos os agentes do setor hídrico para salvar rios e mananciais do País foi o tema principal da abertura do XXIII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos (SBRH), promovido pela Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRHidro) entre os dias 24 e 28, em Foz do Iguaçu (PR). “Já perdemos rios demais”, alertou o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, em seu discurso para os mais de 1.500 participantes do evento na cerimônia realizada na noite de domingo, dia 24, no Bourbon Cataratas Resort. “Estamos em um momento muito crítico para pensar as soluções e implementar as mudanças”, falou, ao lembrar da elaboração do Plano Nacional de Recursos Hídricos 2020 a 2040, tema de oficinas que serão realizadas pelo Ministério e pela Agência Nacional de Águas (ANA) dentro do Simpósio.

A diretora presidente da ANA, Christianne Dias, destacou os esforços na construção do Plano Nacional de Segurança Hídrica, que traz as principais obras e ações para minimizar as crises hídricas. “É preciso que este plano entre na agenda política do País.” Para Benedito Pinto Ferreira Braga Junior, diretor presidente da Sabesp e presidente honorário do Conselho Mundial da Água, o setor hídrico vive um momento histórico no Simpósio, que reúne especialistas nacionais e estrangeiros, gestores, profissionais e a área acadêmica.

Os grandes problemas hidro ambientais nacionais foram lembrados pelo presidente da ABRHidro, Adilson Pinheiro. “Nos próximos dias iremos tratar dos grandes desafios das águas brasileiras. E faremos isso em um ano repleto de alertas: catástrofe em Brumadinho, o derramamento de petróleo cru em águas brasileiras, as queimadas na Amazônia e o aquecimento global.” Pinheiro afirmou que os estudos, pesquisas e o conhecimento científico são bases para a construção de políticas públicas eficientes e responsáveis. “Nosso Simpósio demonstra a vocação científica brasileira ao trazer 1.430 trabalhos técnicos de todo o País, um número recorde”, informou.  “É dentro deste contexto que os integrantes da Associação Brasileira de Recursos Hídricos elegeram o tema Água Conecta, destacando a sua essência como símbolo da vida, do movimento, da integração e da conexão,” falou Pinheiro. Já o coordenador local do evento, engenheiro Luiz Henrique Maldonado, afirmou que, ao unir todos os setores envolvidos com recursos hídricos, o Simpósio cria um ambiente único e favorável ao crescimento e aprendizado mútuo.”

Também prestigiaram a abertura o secretário Germano Luiz Gomes Vieira (MG), presidente da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente – Abema; o diretor geral brasileiro da Itaipu Binacional, general de Exército Joaquim Silva e Luna; Luis Garcia Acevedo, vice-reitor da Universidade Federal da Integração Latino-Americana, (UNILA); e Jonathan Dieter, chefe da Divisão de Informação da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, que  representou o governador paranaense Carlos Roberto Massa Júnior.