Agenda Geral | Comitês

<Maio/2022>
DOMSEGTERQUAQUISEXSÁB
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031
<Maio/2022>
DOMSEGTERQUAQUISEXSÁB
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Saae assina contrato para readequar tratamento do esgoto

18/04/2022 - Categoria: Informes

O Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) de Aparecida assinou contrato para readequação da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto), com valor aproximado de R$ 2,3 milhões e com financiamento do FEHIDRO (Fundo Estadual de Recursos Hídricos)

O acordo tem como objetivo ampliar a capacidade de tratamento de esgoto em Aparecida. Atualmente, apenas de 10% a 20% do esgoto são tratados no município, de acordo com a própria autarquia. O FEHIDRO informou que tem como meta promover o programa e ações na área de recursos hídricos e alavancar a coleta e tratamento de esgoto no município.

Segundo o Saae, Aparecida tem dificuldade em conduzir o esgoto até a ETE, por não ser um município compacto. A cidade tem estações elevatórias, que conduzem o esgoto até a estação de tratamento, mas o percentual tratado atualmente é baixo. Com o contrato, a expectativa é de que após a licitação, em um ano, o município atinja os 100% de esgotamento sanitário tratado.

A autarquia confirmou a criação de uma Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Obra, que vai contar com especialistas nas áreas de engenharia ambiental, preservação do meio ambiente e engenharia de saneamento básico. A intenção é dar mais lisura e segurança ao projeto e a execução das obras, de acordo com a direção do Saae.

Ao todo, serão investidos R$ 2.298.300,18 com recursos do FEHIDRO. O Saae investirá R$ 46.904,06. O processo licitatório será aberto em um prazo máximo de 180 dias. De acordo com a autarquia, as obras podem ser finalizadas antes dos 12 meses, já que os serviços serão feitos simultaneamente em locais distintos.

Histórico – Em 2013, o Município foi contemplado pelo programa “Água Limpa” do governo estadual e ganhou uma ETE (Estação de Tratamento de Esgotos) que atingiria 100% do tratamento. Até 2019 a cidade coletava 70% mas não tratava o esgoto. O projeto custeado pelo Governo do Estado foi orçado em R$ 22,3 milhões

Fonte: Jornal Atos