CBH-TB

Sub-Unidades

Agenda Geral | Comitês

<Outubro/2022>
DOMSEGTERQUAQUISEXSÁB
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031
<Outubro/2022>
DOMSEGTERQUAQUISEXSÁB
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Apresentação

Instalado em 13 de setembro de 1996, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Tietê-Batalha (CBH-TB) possui um colegiado composto por 45 membros que representam os segmentos do estado, dos municípios e da sociedade civil. Devido a sua localização central, e por possuir água em quantidade e qualidade, a bacia é um potencial atrativo para os investimentos no Estado de São Paulo. Como pontos fortes de desenvolvimento, podemos citar um completo sistema rodoviário que interliga todos os municípios; boa malha ferroviária que é utilizada para transportar minérios, combustíveis e cargas em geral; a Hidrovia Tietê-Paraná como outra opção de transporte, servindo como entrada do MERCOSUL no Estado; o Gasoduto Brasil-Bolívia que corta longitudinalmente a bacia, oferecendo uma fonte alternativa de energia limpa; além de contar com opções de lazer e turismo. Ainda como potencial energético, dentro da bacia está instalada a UHE Mário Leão, em Promissão, onde são gerados 265 megawatts de energia elétrica. Em seu território como um todo, a Bacia Hidrográfica do Tietê-Batalha possui potencial para instalação de usinas termoelétricas com capacidade de geração de até 1.200 megawatts.

CARACTERÍSTICAS GERAIS DA UGRHi-16
Área de drenagem1: 13.149 km²
População2: 537.122 habitantes
Principais rios3Rio Tietê, Rio Dourado, Rio São Lourenço, Rio Batalha e Ribeirão dos Porcos.
Reservatório3: Promissão.
Balanço Hídrico4: permanece na UGRHI a “boa” condição de disponibilidade per capita, que 5.753,90 m³/hab.ano. A utilização dos recursos hídricos aponta vazão outorgada de 18,25 m³/s (59% superficial e 41% subterrânea), sendo a aptidão agrícola comprovada com a demanda rural de 12,20 m³/s. As crescentes demandas na UGRHI impõem condição de “atenção” para a vazão outorgada superficial que consome 18,6% da vazão medida (Qméd), 45,6% se comparada à vazão de permanência (Q95%) e 34,9% se comparada à vazão mínima superficial (Q7,10); e condição “crítica” para a vazão outorgada subterrânea que atingiu 82,8% das reservas explotáveis.

Principais atividades econômicas5Agricultura, pecuária e atividades industriais nas áreas mecânica e alimentícia, predominando a sucroalcooleira. Entre as principais culturas destacam-se a da cana-de-açúcar e laranja. Ao longo da área de inundação da UHE Mário Leão observam-se atividades de recreação e lazer, demonstrando o potencial turístico da região.

Vegetação remanescente6Apresenta 893 km² de vegetação natural remanescente que ocupa, aproximadamente, 6,5% da área da UGRHI. As principais formações são a Floresta Estacional Semidecidual e a Savana.

Unidades de Conservação7: APA Rio Batalha, RPPN Sítio Palmital, RPPN Fazenda Relógio Queimado e RPPN Trilha Coroados.

Fontes: 1. PERH, 2006; 2. SEADE, 2020; 3, 4 e 5. Relatório de Situação de Recursos Hídricos de Bacias, 2020; 6. IF, 2009; 7. FF, 2008; FF, 2009; ICMBio, 2009.
Legenda: APA – Área de Proteção Ambiental; ARIE – Área de Relevante Interesse Ecológico; EE – Estação Ecológica; FE – Floresta Estadual; FN - Floresta Nacional; MN – Monumento Natural; PE - Parque Estadual; RB – Reserva Biológica; RPPN – Reserva Particular do Patrimônio Natural.

MUNICÍPIOS
Adolfo, Avaí, Bady Bassit, Balbinos, Borborema, Cafelândia, Dobrada, Elisiário, Guaiçara, Guarantã, Ibirá, Irapuã, Itajobi, Itápolis, Jaci, Lins, Marapoama, Matão, Mendonça, Nova Aliança, Novo Horizonte, Pirajuí, Piratininga, Pongaí, Potirendaba, Presidente Alves, Reginópolis, Sabino, Sales, Santa Ernestina, Taquaritinga, Uru, Urupês

PARA MAIS INFORMAÇÕES, ACESSE O SITE DO COMITÊ: http://www.comitetb.sp.gov.br