Agenda Geral | Comitês

<Abril/2024>
DOMSEGTERQUAQUISEXSÁB
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930
<Abril/2024>
DOMSEGTERQUAQUISEXSÁB
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930

Réveillon Hidrológico marca o início do período de chuvas

03/10/2023 - Categoria: Matérias

Você sabia que o Réveillon Hidrológico, um fenômeno natural que muitos desconhecem, desempenha um papel vital na vida do estado de São Paulo? Enquanto muitos celebram a virada do ano com festas, a natureza também tem sua própria comemoração, que impacta diretamente os paulistas. A data marca o começo do período de chuvas, de outubro a março, que favorecem o abastecimento dos reservatórios, e o fim da fase de seca, entre abril e setembro.

A escolha do mês tem relação com a ocorrência de pancadas mais fortes de chuvas isoladas, reforçadas pelo calor e pela umidade proveniente da Amazônia. O auge da estação ocorre entre os meses de dezembro e janeiro, mas a tempestade que atingiu o litoral norte do estado em fevereiro passado, com uma chuva recorde de 680 milímetros em 24 horas (a maior concentração já registrada no país em uma área pequena), faz parte desse quadro, que é capaz também de afetar outros serviços prestados pela Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística (Semil), como é o caso das travessias litorâneas e de desassoreamento e limpeza de cursos d´água e reservatórios. 

“Colocamos um programa específico de segurança hídrica no nosso plano plurianual, olhando o Estado como um todo. Hoje firmamos uma cooperação entre Sabesp e DAEE, parceria que vai ao encontro da transparência, de melhoria das ações, de aprimoramento de gestão e de governança”, explicou a secretária Natália Resende, durante abertura do workshop de “Gestão de Cheias, Estratégias frente a Eventos Extremos”, realizado na segunda-feira (03).

O termo de Cooperação de Compartilhamento de Dados entre Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) possibilitará um planejamento conjunto, em especial, nos meses de outubro e novembro, para que se tenha uma atuação preventiva mais eficiente nos meses seguintes. “Precisamos ter o monitoramento constante dos pontos críticos e ampliar nossas parcerias, como a assinatura de hoje”, reforçou a superintendente do DAEE, Mara Ramos. 

Reservatórios

A virada para o período de chuvas acontece no momento em que a situação dos reservatórios na Grande São Paulo é considerada satisfatória, segundo os dados da Sabesp. O volume total armazenado na Região Metropolitana é de 65,2%. No mesmo dia no ano passado (2/10), era de 44,8%. Isso ocorreu porque o ano hidrológico anterior registrou boa quantidade de chuvas, que mantiveram as represas em bons níveis. 

“Este ano foi especialmente positivo para os mananciais. A estação seca foi menos intensa, o que nos permitiu chegar ao Réveillon Hidrológico em uma condição muito boa. É uma marca importante para refletirmos como o clima vem mudando e se tornando imprevisível. O início do período chuvoso traz alento, pois tende a recuperar os reservatórios, mas também nos alerta para os riscos. Temos visto eventos climáticos severos que afetam muito as cidades”, afirmou o diretor-presidente da Sabesp, André Salcedo. 

No Sistema Cantareira, o nível é de 67,8%. No ano passado, na mesma época, eram 32,5%. Para esse novo ano hidrológico, as perspectivas apontam um volume de chuva perto da média histórica, o que seria o suficiente para manter os reservatórios em níveis confortáveis.

Fonte: SEMIL