Agenda Geral | Comitês

<Agosto/2022>
DOMSEGTERQUAQUISEXSÁB
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031
<Agosto/2022>
DOMSEGTERQUAQUISEXSÁB
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Reversão das águas do Itapanhaú beneficia moradores da RMSP

10/01/2018 - Categoria: Matérias | SABESP

Foto: Marcos Pertinhes/Prefeitura de Bertioga

Em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, na sexta-feira (5), o Governador Geraldo Alckmin assinou a autorização para iniciar as obras de reversão das águas do Rio Itapanhaú para o Sistema Produtor do Alto Tietê, sendo que a medida vai proporcionar melhorias no abastecimento para 4,5 milhões de moradores da Capital e da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). Participaram do evento o Secretário Estadual de Saneamento e Recursos Hídricos, Benedito Braga, o presidente da Sabesp, Jerson Kelman, e representantes da RMSP. 

Com investimento de R$ 91, 7 milhões, a obra, que deve gerar 1.070 empregos diretos e indiretos, vai permitir bombear, em média, dois mil litros de água por segundo para aumentar a segurança hídrica. “Assinamos hoje (dia 5) o contrato, que obteve mais de 40% de desconto. É uma grande conquista”, disse Alckmin. 

Será feita uma estrutura de bombeamento no ribeirão Sertãozinho, um formador do rio Itapanhaú. A água captada do ribeirão será transferida por tubulação até o reservatório Biritiba-Mirim, que faz parte do Sistema Alto Tietê. “Serão 8,5 km de adutoras, com oito bombas. A água ofertada será puríssima, originada de uma região belíssima, na Serra do Mar. A projeção é de que as obras comecem em 60 dias”, revelou o Governador.

Segundo a Sabesp, a captação de água do Itapanhaú será de 2 mil litros por segundo na média anual, respeitando a outorga definida e a disponibilidade hídrica da bacia. O modelo de captação escolhido pela empresa é semelhante ao utilizado em Nova York (The Catskill Aqueduct). 

Há pelo menos 150 anos, a água que abastece os nova-iorquinos vem das montanhas que ficam aproximadamente 160 quilômetros da cidade. A água tem qualidade superior, já que os rios praticamente não sofrem impacto da ação humana. O mesmo acontece com a água que será captada do rio Itapanhaú.

Foto: Gilberto Marques/A2img/Portal do Governo de São Paulo